sábado, 4 de fevereiro de 2012

Praias "in" de Portugal

 A contrastar com S. André, algo similar, só porque tem lagoa e mar, nos restantes aspetos as diferenças são gritantes.
Aqui já não é Alentejo, entramos em terras sadinas e noutras atmosferas. Se na primeira a atmosfera é respirada pela classe média ou baixa-média; aqui impera o “in”. Pensa o leitor mais incauto “mas quem?”, porque o leitor ou telespetador mais atento das notícias do verão de 2010 e 2011 já deve ter percebido a que território me refiro.
Lagoa, mar e “in” e é claro que me refiro à linha de Tróia, começando na lagoa de Melides e acabando na afamada Tróia. Contrariamente há uns atrás, a de Melides está “in” ou para lá caminha.


 Aqui, logo à entrada da povoação, um parque de estacionamento com “sombreros” (pouco “habitável” para autocaravanas), apartamentos alinhados e , na areia da praia, em vez do tradicional bar e esplanada, agora temos o “lounge” com “puffs” e até camas de dossel esvoaçando no deserto macio…



 Uns quilómetros mais adiante, a linha do “in” total na praia do Pego (Carvalhal), completamente interdita a AC (com barras de altura) e completamente cheia de tias que vão à missa das 19h. ao domingo e à 2ª levam os filhos à equitação.
Se estacionar é difícil, pernoita só em camping (de Melides, por exemplo). Até Tróia pior ainda, até mesmo o simples acto de circular na estrada. Tróia é agora um gigantesco condomínio fechado para carros e particulares.

Nada como prosseguir caminho e optar por território neutro: Alcácer do Sal. Já sem mar mas ainda com as águas do rio que servem de ponto de transição entre as águas e a secura da planície.
Recentemente arranjada na zona ribeirinha, Alcácer vai mirando o rio, com uma pequena marina e um simpático passeio pedestre ao longo de duas pontes, evocando algumas cidades do norte europeu, onde os rios, as pontes e as casas-barcos são o pãonossodecadadia.
Bom final para o nosso capítulo I de férias de verão 2011 e certamente um bom início para férias 2012 deste verão que se aproxima. 


1 comentário:

Graça e Renato disse...

No litoral do sudeste e sul do Brasil é a mesma cois, infelizmente!