sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Janelas


Poeticamente falando, “os olhos são as janelas da alma” logo, o que são as janelas? Os olhos de quem vive dentro das casas? Ou seja, o espelho da alma dos seus habitantes?
Seja o que for ou como for, as janelas sempre me fascinaram e, em cada viagem, irresistivelmente, a lente capta sempre uma ou outra janela, ou até mesmo muitas janelas. Cada uma espelhando uma alma diferente, com a sua diferente cor, um singular morador, uma alma singular.



Astúrias sempre em flor




Roupa que fala, Porto





Sorte à espreita, Tommerup, Dinamarca



Olhos que espiam, Odense, Dinamarca

sardinheiras às riscas, Odense, Dinamarca




Um olho e sobrancelha, Tommerup, Dinamarca



Janelas sevilhanas, Sevilha, claro!



Londres

Arco-íris, Londres



Alegria, Lazarim , POrtugal



o olho do Bardo, Stratford, Inglaterra



Kager Plasser, Holanda


Grazalema, a sinfonia das flores



Gibraltar espanhola

Dinan



Concarneau


Colmar


Brigthon


Tantos olhos...Barcelona

a árvore à frente dos olhos, Amesterdão



Borboletas em flor, Alsácia

Algures no vale do Mosel , Alemanha





Suavidade, Évora, Portugal

Marvão, uma linha !

6 comentários:

Papa Léguas disse...

Parabéns por estas suas "Janelas".

A Maluda não as pintaria tão bem.

Um trabalho a continuar.

Papa Léguas

Teresa disse...

Belas janelas!
Todas diferentes, todas encantadores ou surpreendentes.
Bjs

Antonio e Ellen disse...

Belissimas "JANELAS" !!!
Amo janelas, sempre me chamam a atenção...
Ótimo trabalho, parabéns
bjs, Ellen
www.viagemafora.blogspot.com

Dylan disse...

Belos pormenores que às vezes passam despercebidos.

Paula Vidigal disse...

OLá a todos;

ainda bem que gostaram das minhas janelas, não sei porquê não lhes resisto...

Paula Vidigal

Barcelona Expedition disse...

A janela indiscreta, ou a indiscreta janela?! Entre tantas janelas e as vidas que levam dentro, fico com as floridas, que tornam nossos passeios por esses paises, um tour mais charmoso e pela curiosidade de saber quem é tal pessoa que nos produz um detalhe tao bonito.

Adeu,
Felipe