domingo, 18 de outubro de 2009

No reino da Dinamarca entre Vikings de tangas


Parte IV – Deslumbrante flora estrada fora…
O que quase nos mata na Dinamarca são as paisagens verdes-verdes, entrecortadas pelo azul das águas, sejam elas lagos, estreitos ou o Báltico.
O estreito Grande Belt
O verde não é o mesmo verde, a vegetação e árvores terão outros nomes, pena tenho de o meu léxico neste campo ser um livro de bolso mínimo.
Em duas horas e meia de viagem, mesmo cansada, foi impossível fechar olho, porque naquele momento estava ali, ao vivo, a possibilidade de ver outra Dinamarca, por dentro. E perceber que estávamos mesmo, de facto, numa ilha. E a atravessar uma, para entrar na outra…

(Ponte do Garnde Belt, a grande travessia...)
E tudo porque na viagem de regresso a Copenhaga, conseguimos, em vez do famigerado comboio, o aluguer de um bus que nos tirou de Tommerup à hora desejada e nos levou ao colo até à porta do Danhostel, na capital. E, claro, o mais importante, com a vantagem de irmos sentados e de olhos arregalados, comendo a paisagem.
Como em tudo na vida, “nem tudo são rosas”, porque imaginei logo que se fosse na autocaravana, cada pedaço de terra seria pisado a sério, cada local mais fascinante seria calcorreado a pé, de bicicleta… seria realmente tocado, tacteado… assim, detrás de uma vidraça, lá ficou a sensação que o mundo me passava à frente dos olhos através de um vidro opaco.
(Na AC, quem sabe se não pararíamos naquele camping, ali ao fundo, tão mal fotografado porque era visto a partir de um vidro, fechado...)
Não há dúvidas pois, Dinamarca não se fará esperar muito por uma certa casinha com rodas…
Entre o cenário natural, deslumbrante é também o engenho humano: a ponte Ponte do Grande Belt, construção de 18 km, sob a qual passam ferries e outras portentosas embarcações e sobre a qual deslizam veículos de quatro rodas e comboios. A portagem é qualquer coisa como 25 €… toca a juntar dinheiro se o que se pretende é revisitar este reino de caras coroas…


"Batem carros de aluguer, ao fundo,
Levando via-férrea os que se vão. Felizes!
Ocorrem-me em revista, exposições, países:
Madrid, Paris, Berlim, S. Petersburgo, o mundo!"

Cesário Verde






2 comentários:

Vagamundos disse...

De facto quando de regressarem de autocaravana vão poder ter outra perspectiva da Dinamarca. E aproveitem e projectem ir também à Suecia e quem sabe mesmo à Noruega e às suas fiordes :) Também queremos ir mais para norte. Talvez apanhemos uma boleia ;)
Bjs

Paula Vidigal disse...

Claro que a Suécia e Noruega também fazem parte dos nossos planos, não sei é onde vamos ao dinheiro e ao tempo...
Boleia é o que não falta, há sempre espaço para mais dois no nosso apartamento sobre rodas:)

bjs