segunda-feira, 12 de abril de 2010

Uma espreitadela em Marrocos


Enquanto as memórias, vivas mas meio difusas, não assentam calmamente, aqui deixo uma espreitadela por um novo mundo, do outro lado do mar, o outro monte lá longe.
Refiro-me a Marrocos, pois então, aquele alto monte que nos foi surgindo devagar e se revelou desde o primeiro passo, uma terra multifacetada, alucinante, exótica, diferente.


Marrocos é terra onde a opulência é opulenta e a miséria miserável.


Palácio Real -Fez


"Casas " de campo



Onde as paisagens lembram outras paisagens, mas são definitivamente outras.


(ao longo do Rif)


Marrocos é a terra onde os homens abraçam, seduzem, enervam, vigarizam… porque há sempre a outra face e essa é inevitavelmente a da pobreza, aliada a um tom de calma e “carpe diem” que roça a aparente felicidade.




Paragem de autocarro -Fez


Em Marrocos tudo é diferente: o andar na estrada, na auto-estrada, nos campos, na cidade (infelizmente não cheguei ao deserto para o mencionar e comparar aqui);
as roupas; as escolas; as casas (algumas deverão ser apelidadas de casas?); o sabor dos condimentos;

os cheiros; o afazer que perpetua a arte manual; o pregão para a oração sempre presente;
(Marrakech)

o negócio sempre a dominar na mais ínfima das acções…
até o adeus de quem quer ir connosco, para fugir dali, da terra quente, pobre, apesar da tímida e natural felicidade.




Prometo que mais contarei, deixem-me só habituar a estes ares turbulentos da civilização e fiquem-se com esta espreitadela…





(Fez)

5 comentários:

Haddock disse...

Mas que belo aperitivo para quem se prepara para iniciar no próximo fim de semana uma volta a Marrocos de dois meses e meio.
Gostei especialmente da abordagem aos contrastes. Para mim vai ser a primeira vez; estou convencido de uma coisa. Por mais que nos preparemos a realidade é sempre mais forte que as expectativas. Não será assim?

Jorge disse...

Olá Paula,

Parabéns pelo seu artigo, muito interessante.
Eu sou um autocaravinista que com mulher e pequeno filho viajo desde há cinco anos pela Europa.
O seu artigo despertou-me interesse em conhecer Marrocos, fico no entanto com a duvida se é seguro uma autocaravana isolada parquear durante o dia nas cidades marroquinas e se os parques campismo têm condições minimas.
Obrigado por partilhar as suas viajens,
Abraço
Jorge Barbosa - jorgembarbosa@gmail.com

Paula Vidigal disse...

Informo que para mim também foi a 1ª vez. Os onze dias foram manifestamente poucos para conhecer tudo o que queria, para andar sem stress e para me ambientar a tudo, porque é, de facto, outro mundo. Custou-me muito a habituar-me a estar sempre rodeada de marroquinos a quererem vender isto e aquilo, mais uma semana e já não me afligiria.
Houve momentos muito bons, outros nem por isso, porque nitidamente sou de outra cultura, porque me faltou o tempo , como já disse.
Nunca me senti insegura, mas tive alguns receios e vivi alguns sustos.
Não revelo já tudo, nos próximos dias continuarei a dar pormenores dos "altos e baixos" desta viagem e informarei sobre os campings e estacionamentos.

Se quiserem, entretanto, perguntar mais alguma coisa, disponham (sobretudo o Haddock que está no ir...).

viajantedecasaascostas

Bjs

Vagamundos disse...

Adorámos Marrocos. Ficamos ansiosos à espera do resto :)
Bjs

majv disse...

É o Haddock dia 18 e sou eu dia 30.
Marrocos é o nosso destino, e com encontrado marcado algures lá para o sul.
Por mim são 30 dias, na sequência de 17 em 2009.
Marrocos é fantástico, e, este ano, espero ter pachorra para fazer um relato da viagem.
Entretanto fico á espera do "resto" da vossa viagem.